TÁXIS ACESSÍVEIS EM SÃO PAULO

21/08/2019

A quantidade de corridas feitas com táxis acessíveis (veículos especialmente adaptados para o transporte de passageiros com mobilidade reduzida), cresceu 20% desde a inclusão de mais táxis acessíveis na cidade, conforme informações da Adetax (Associação das Empresas de Táxis do Município de São Paulo).

 

Ao longo de quatro anos, mais de 60 mil corridas foram atendidas pelos acessíveis. Os taxistas responsáveis pela condução dos veículos adaptados são devidamente preparados antes de assumirem o volante. Ao chegar ao local da chamada, por exemplo, o motorista informa ao passageiro que está à disposição para acomodá-lo dentro do veículo. Somente quando o motorista tiver concluído o procedimento de fixação da cadeira de rodas com o auxílio de quatro cintos de segurança é que poderá ser ligado o taxímetro.

 

Ao chegar ao destino, o taxista desliga o taxímetro, informando ao cliente o valor da corrida. Somente depois disso é que será iniciada a retirada do passageiro. “O táxi acessível implica em mais conforto e segurança, sem que o cadeirante tenha de pagar mais por isso. Graças a esse serviço, torna-se possível o uso do táxi sem que o passageiro precise ser retirado de sua cadeira de rodas”, explica Auriemma.

 

Isso porque os táxis são adaptados de acordo com os requisitos da Secretaria Municipal dos Transportes da cidade de São Paulo. Os táxis acessíveis contam com plataforma elétrico-hidráulica, acionada por controle remoto e com sustentação de até 250 quilos, para acomodar o usuário no carro de forma descomplicada.

 

O investimento das empresas nesse tipo de adaptação é alto porque, além da plataforma elevatória, o carro precisa ser equipado com teto elevado, fixador e cinto de três pontos para facilitar o acesso dos cadeirantes.

 

O serviço de táxi para pessoas com mobilidade reduzida continua sendo oferecido 24 horas.